Deformidades congênitas das mãos

DESCRIÇÃO

Uma deformidade congênita da mão é se caracteriza pela presença anormal ao nascimento. Uma em cada 20 crianças nasce com alguma deformidade congênita na mão. Estas podem apresentar graus variados de severidade. Algumas possíveis diferenças incluem partes faltantes (falha na formação), partes da mão com falhas ou fundidas (falhas de separação), partes extras na mão (duplicação) ou partes maiores ou menores que o normal.
Exemplos de diferenças comuns incluem:
  • Dedos jutos, chamados sindactilia (Figura 1)
  • Um dedo extra pequeno, chamado polidactilia (Figura 2)
  • Um polegar extra, chamado polidactilia radial (Figura 3)
Figura 1 – Dedos juntos, chamados sindactilia, são uma doença congênita comum da mão.
Figura 2 – Um dedo extra pequeno, chamado polidactilia, é uma doença congênita comum na mão.
Figura 3 – Um polegar extra, chamado polidactilia radial, é uma diferença comum da mão congênita.

CAUSAS

Durante o desenvolvimento fetal, o membro superior é formado entre a quarta e oitava semanas de gestação. Muitos passos são necessários para formar um membro superior normal. Se qualquer uma dessas etapas falhar, uma má formação congênita pode ser resultante. Algumas dessas diferenças têm causas genéticas, mas muitas dessas diferenças ocorrem sem uma causa conhecida. Pesquisas estão sendo feitas para tentar entender esses processos.

SINAIS E SINTOMAS

Algumas doenças são fáceis de identificar, mas outras podem ser mais difíceis porque possuem mais de uma alteração. Algumas doenças parecem semelhantes, mas têm diagnósticos diferentes. É importante que seu filho seja avaliado por um especialista em mão para ajudar a determinar se algum tratamento é necessário. Seu especialista em mãos pode encaminhá-lo a um especialista em genética para ajudar a fazer um diagnóstico geral para seu filho.

TRATAMENTO

Os dedos fusionados são geralmente separados por cirurgia e os dedos extras podem ser removidos cirurgicamente. Às vezes, o dedo ou polegar remanescente requer cirurgia para reconstrução. Todos os bebês nascidos com esses problemas devem ter uma avaliação completa por um especialista em mãos que trata essas condições. Às vezes uma criança pode precisar de terapia da mão . Às vezes, nenhum tratamento é necessário.

LIDAR COM DIFERENÇAS CONGÊNITAS NAS MÃOS

No início, os pais podem sentir-se chocados, irritados ou culpados. Estas são emoções normais. Na maioria das vezes, não há nada que pais ou médicos possam ter feito de forma diferente para evitar o defeito congênito da mão. Converse com seu especialista sobre grupos de apoio ou profissionais que podem ajudar você e seu filho a se adaptar.

Artigo original:

-22.2348068-54.8150275